Social Icons

https://twitter.com/blogoinformantefacebookhttps://plus.google.com/103661639773939601688rss feedemail

Pages

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

China aprova programa de construção de grandes navios movidos à energia nuclear

Acima o porta-aviões chinês Liaoning

O governo da China aprovou recentemente o programa para o desenvolvimento de navios de superfície movidos a energia nucleares, em especial, um porta-aviões, confirmou um oficial as Forças Armadas Chinesas.

A primeira fase do projeto prevê o desenvolvimento e construção de um reator nuclear compacto de nova geração sob o codinome "863". Os novos reatores são planejados para serem usados nos futuros porta-aviões, submarinos estratégicos, destroier e navios cargueiros chineses.

Atualmente, a China tem um programa de construção de porta-aviões, o qual está sendo implementado em duas fases: Na primeira fase, está previsto a construção de até 4 porta-aviões, metade dos quais são transferidos à Marinha Chinesa até o ano de 2015-2016. Os primeiros porta-aviões, deslocando entre 50-55 mil toneladas não serão movidos a energia nuclear. Em julho de 2011, a China começou a construção do seu primeiro porta-aviões. A construção acontece em um estaleiro localizado na Ilha de Changxing, no delta do rio Yangtze.

A segunda etapa envolve a construção de, pelo menos, dois porta-aviões deslocando cerca 65 mil toneladas cada. Esses sim, serão movidos à energia nuclear. De acordo com estimativas preliminares, estes porta-aviões estarão em serviço na China depois de 2020.

26 comentários:

  1. Fazendo a dever de casa como deve ser feito....Q inveja, q tristeza. Sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente amigo, nosso NAE com todo o tempo que esta em reforma e ainda vai continuar até 2014 isto se tudo correr bem.

      Excluir
    2. Vocês fazem comparações irrisórias. Comparar o Brasil, que não tem inimigos, com a China milenar, país que fica na zona mais volátil do mundo é brincadeira, né?

      Excluir
    3. Não tem inimigos DECLARADOS. Somos um país pacífico por enquanto, ninguém sabe o que o futuro reserva para nós.

      Ou nos preparamos ou seremos comidos por qualquer gigante sedento por riquezas naturais.

      Excluir
    4. Concordo em gênero, número e grau. Mas não esqueça: Navios movidos a energia nuclear são para aqueles países que querem projetar poder, o que não é nosso caso.

      Excluir
    5. Esse é o motivo da MB estar se concentrando nos submarinos Scorpène e no submarino nuclear. São, primariamente, para a defesa das águas brasileiras. Há também o interesse no míssil sul-africano Umkhonto.

      Concordo que não temos intenção de projetar poder, mas numa guerra, a capacidade de realizar ataques é tão importante quanto a defesa. Não vejo com bons olhos a China nem os EUA. Se eles não se destruírem, temo que virem os olhos para terras tupiniquins.

      O Brasil também mostra-se interessado em influir na África, continente também cobiçado pela China. A América do Sul anda quieta, mas há desavenças no continente que podem ser exploradas pelas grandes potências mundiais.

      Excluir
    6. A Marinha Brasileira está a desenvolver uma nova versão do Umkhonto, a Umkhonto-R.

      Nossa Marinha é de águas azuis, logo, podemos atacar o inimigo. Não precisamos ficar somente na defensiva.

      Excluir
    7. Michel, eu não entendo nada de meios de superfície.

      O quão eficazes são os nossos?

      Excluir
    8. Temos meios bons e atualizados, mas falta-nos meios com mísseis poderosos. Não é a toa que estamos a avaliar a aquisição de fragatas multifuncionais. Uma das que mais me agrada é a classe FREMM:
      http://www.defense.gouv.fr/marine/decouverte/equipements-moyens-materiel-militaire/batiments-de-combat/fregates/fremm/fremm-aquitaine-d-650

      Excluir
    9. É, estou ciente sobre essa fragata FREMM.

      Há interesse por parte da MB nela?

      Excluir
    10. Sim e muito. Franceses e italianos estão a se digladiar para vendê-la ao Brasil. A proposta francesas parece ser mais atraente, uma vez que os franceses nos oferecem uma versão de cruzeiro do SCALP com mais de 2000 km de alcance.

      Mas iremos abrir uma concorrência para barganhar.

      Excluir
    11. Esperemos que dê certo. Dando uma rápida pesquisa pela net, vejo posts em blogs militar datados de 2008 com o título "Fragata FREMM: Novo meio de superfície da MB?". Faz 5 anos já.

      Excluir
    12. Algumas correções: pesquisada no lugar de pesquisa e militares no lugar de militar.

      Excluir
  2. Concordo com o nosso amigo Anonymous. (Somos um país pacífico por enquanto, ninguém sabe o que o futuro reserva para nós.)

    Brasil não é um que age preventivamente. Algo de grande proporções precisa acontecer para que começasse a tomar iniciativa. Ou seja , estão esperando o país ser ameaçado para começar a se desenvolver militarmente.


    Edson Dias

    ResponderExcluir
  3. Existe algum desenho, ilustração desses novos porta-aviões chineses? Eles serão parecidos com esse da foto que ilustra a matéria? Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Ainda prefiro as fragata Italianas e ou Rússas...Sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A fragata ítalo-galesa FREMM é superior as fragatas russas.

      E se eu bem me lembro, a França arcou com a maior parte do projeto e os sistemas comuns em sua maioria são franceses. A classe Aquitaine é bem melhor que a classe Bergamini. Logo, posso afirma no presento e respaldado do passado que as fragatas francesas sempre foram melhores.

      Da uma olhadinha na classe francesa La Fayette e compare com qualquer classe italiana para você perceber a excelência dos navios franceses frente aos navios italianos.

      Excluir
    2. Ah, e quando comparamos o estaleiro francês DCNS com o italiano Fincantieri a discrepância fica cada vez mais evidente.

      Excluir
  5. alguem poderia me responder uma coisa, e verdade que estamos construindo um novo Porta aviões, para subistuir o Nae-sp ? eu achei este video mais duvido desta informação !
    http://www.youtube.com/watch?v=RPJQcHVuRAU

    ResponderExcluir
  6. Tá certo, então vamos de fratas Rússas...Sds.

    ResponderExcluir
  7. País Pacífico!!! Lembra na 2º guerra que os EUA tinha planos de invadir o Brasil?!?! caso não abrisse mão da base no nordeste?? e que ate os ermanos tbem queriam um pedaço do bolo!!! se isso tivesse acontecido, com certeza hj seria outros dias!!! seriamos uma potencia militar dominando o Atlantico Sul, as Malvinas nunca passaria para as mãos Argentinas, Guiana Francesa seria um pais independente e mais...acho que prefiro assim como esta , pois tenho filhos com idade de ir para a guerra!!! bem ate eu tenho heheheh

    ResponderExcluir
  8. Denilson Vieira, parabéns por lembrar esse fato q seria feito por um país facifico..., e esse n irmão caim do norte, já indaiu quase td ou td os países da LA , só a Nicaragua + de 10x em menos de 1 século.E na pax e se preparar, a sério p de defender na guerra,valeu.Sds.

    ResponderExcluir
  9. Vocês realmente creem nessa falácia? Os EUA naquela época não era imperialista e não tinham planos de invadir o Brasil como disseram. E olha que eles tinha motivos, haja visto que nosso presidente era simpático do regime de Hitler. Um país tem planos de invadir outro, fariam o que o EUA fizeram? Não posso crer nisso. O Brasil só veio ter uma Força Aérea de fato graças aos americanos, aliás, não só a Forças Aérea, mas uma boas Forças Armadas. Perceba que a doutrina de caçador, a doutrina de cavalaria, a doutrina de aviação embarga, a doutrina para-quedista, a doutrina de caças e mais uma porrada doutrina foram os americanos que nossos passaram.

    ResponderExcluir