Social Icons

https://twitter.com/blogoinformantefacebookhttps://plus.google.com/103661639773939601688rss feedemail

Pages

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Comando de Operações Especiais (COE): Os verdadeiros 'caveiras' de fato e de direito

Só os mais fortes sobrevivem: Tropa especializada da PM, COE tem curso difícil semelhante ao do Bope do Rio. Policiais passam dificuldades para estarem preparados para enfrentar as piores situações

São 45 dias, literalmente,  no inferno. Dormir três horas por noite. Enfrentar aulas técnicas a madrugada inteira, sem nem piscar. Ser submetido, em seguida, a testes práticos, sem fracassar. Uma refeição por dia - duas colheres de arroz - com só 30 segundos para comer. Correr quilômetros, rastejar na lama, mergulhar, descer de rapel de helicóptero para invadir um presídio rebelado, sem demonstrar cansaço. Perder dez quilos em 30 dias. E não reclamar. Não é para qualquer um.

Os que sobreviverem, após 40 dias de curso, sem pedirem para sair, terão de enfrentar o último teste, de sobrevivência: uma semana na mata fechada da Serra do Mar, só com um facão na mão, tendo de se localizar, encontrar vítimas e enfrentar pressões psicológicas, frio, fome, medo e saudades da família.

Tudo em nome de uma caveira no braço - o símbolo dos Comandos e Operações Especiais (COE), tropa da PM paulista especializada em resgates na mata e ações de risco, como incursões em favelas dominadas pelo tráfico e terrorismo.

Todo ano, 200 policiais militares do Brasil  se inscrevem para o curso do COE, que é tão exigente e rústico quanto o curso do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da PM do Rio. Na seleção, só os 33 melhores são aprovados. Aliás, as instruções do COE serviram para a formação do curso do Bope e são modelo nacional.

Uma das exigências é correr quatro quilômetros em 16 minutos. Não conseguiu, está fora. "Só os melhores podem trabalhar com a gente. Aqui eles são submetidos a exigências para  enfrentarem as piores dificuldades no combate e na mata", diz o tenente Fábio Nakaharada, coordenador do curso. O oficial fez o treinamento em 2009 e, muitas vezes, até pensou em desistir. Sobreviveu,  emagreceu, pegou malária. Tudo para integrar a seleta tropa, onde hoje atua.

Neste ano, em 24 dias, 17 já não aguentaram as pressões e  pediram para sair. O último foi desligado na semana passada, após não cumprir uma prova.

O DIÁRIO acompanhou um dia do curso, aberto pela primeira vez à imprensa desde 1971, quando foi criado com o objetivo de reprimir guerrilheiros comunistas escondidos na área rural. "Somos submetidos a um desgaste físico e mental enorme, mas é meu sonho. Um curso para só uma vez na vida e nunca mais", diz o capitão Carvalho, de 38 anos, que atua no policiamento de estádios da PM. Ele já perdeu seis quilos.

Entrevista: Tenente Felipe Sommer, 27 anos, aluno do curso
'Quem desiste é um fraco, pois não aguentou até o fim?


Diário de São Paulo: Você é o 05 do curso do COE 2010 (no curso, os policiais são chamados só pelo número). Por que quis fazer este treinamento?
FS:
Sou tenente de um pelotão de força tática do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) da PM de Santa Catarina e sempre foi meu sonho ter este curso, que é um dos melhores dentre as Operações Especiais do Brasil. Passei  em uma seleção no meu estado e consegui participar.

Diário de São Paulo: Quais as principais dificuldades para sobreviver aqui?
FS: Cada dia são novos desafios e missões a que somos submetidos, provas mais difíceis. Temos de enfrentar nossos limites, dividir uma marmita entre três e superar desafios.

Diário de São Paulo: Como você vê os colegas que desistiram? Já foram 17...
FS: No turno (como é chamado o grupo que reúne os alunos) somos unidos, tentamos animar quem está cansado, trabalhar junto e até impedir que alguém desista, pois isso afeta todos psicologicamente. Quem desiste é considerado um fraco, pois não aguentou até o fim.

Diário de São Paulo: O que é pior, a fome,  o cansaço ou as missões?
FS: Já perdi uns nove quilos nestes 24 dias, mas o que a gente sente mais falta é da família. É pior do que todas as privações a que somos submetidos. Só estou aqui ainda porque minha mulher, lá no Sul, sabe que este é o meu sonho e me apoia. Ela está grávida de três meses do meu primeiro filho e, se Deus quiser, ele vai ser PM, como o pai.

Diário de São Paulo: Como vai aplicar este curso na sua vida de policial?
FS: Aqui, aprendemos a enfrentar situações de stress e pressão psicológica e física dos piores níveis e nos autoconhecer. Isso nos ajuda a enfrentar dificuldades e a dar valor a cada alimento, a cada momento. Saber que tudo pode ser pior.

Diário de São Paulo: Foi difícil a descida de rapel a partir do helicóptero, a 50 metros de altura? Deu medo?
FS: Não deu medo, não. Mas, quando cheguei lá em cima, foi uma sensação estranha. Mas é só confiar nas instruções que recebemos e no equipamento que dá certo e acabou.

"A caveira tem gosto de sangue", afirma candidato

"Pode preparar o nosso brevê de metal, ou se preparar para o nosso funeral. Aqui ninguém desiste, antes de morrer. Caveira!".

É ao som desta canção militar que os alunos do curso do COE seguem para o teste do dia: descer de rapel de helicóptero, há uma altura de 50 metros, para invadir um presídio rebelado. Um dos alunos, o soldado Marcelo Peixoto,  de 27 anos, deixou a família em Pindamonhangaba, a 146 quilômetros da capital, para integrar a tropa há um ano e só agora conseguiu fazer o curso. "Aqui as provas são pesadas, mas a caveira vale qualquer esforço. É uma caveira que conseguimos com gosto de sangue", diz. Na hora do descanso, os chefes autorizam os PMs a tirar o coturno e as meias molhadas para expor os pés ao sol. "Coloca iodo nestes fungos", diz um instrutor a um aluno cujo pé está embolorado. "Os alunos vêm para o inferno achando que irão encontrar um monte de anjo", brinca outro professor, sobre o rigor nas provas.

Conheça o COE
O lema do grupo é: "Com o sacrifício da própria vida, se preciso for".
No Guarujá, neste ano,  matou traficantes armados de fuzil em uma ação pelo mar.
Especializado em resgates na mata e captura de bandidos em áreas de difícil acesso.

Ritual de desistência expõe fracassado
Quem não aguenta as dificuldades tem que tocar um sinal e jogar o boné no chão, pedindo para sair. "Não dá mais para mim", disse um PM de outro estado que desistiu nas primeiras 24 horas do curso, após estar dez dias na capital esperando o começo do treinamento.
180 homens é o efetivo atual do COE
Tropa é conhecida pelo camuflado verde
Os PMs do COE usam uma farda verde similar à do Exército. Esta é a  única unidade policial do Brasil como o nome de "Comandos", denominação dos  melhores combatentes militares, preparados para se infiltrar por terra, água ou ar em ambientes dominados por inimigos. Ganhou o título em 1972, ao atuar no sequestro de um avião em Congonhas.

11 comentários:

  1. JORGE TADEU S GOMES19 de novembro de 2010 23:58

    Muito bom!! sou homem de Operações Especiais Penitenciarias e atuo no SOE ( SERVIÇO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS )da SECRETARIA ESTADUAL DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA do Rio de Janeiro.
    Parabens a todos os instrutores e alunos do COE.
    Jorge Tadeu S. Gomes Inspetor Penitenciário do Rio de Janeiro RJ CAVEIRA!! HOPE!!

    ResponderExcluir
  2. Admiro muito a tropa do COE, bem como toda PMSP. Sou Tenente da PMGO e gostaria de saber se está previsto Curso para 2011. Caso haja poderia me informar datas de inicio das inscriçoes e do curso.
    Um abraço: Cristiano
    Poderia me responder pelo email: macenacris@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Estive nesta unidade por 3 anos e tenho mto orgulho de ter sido um coeano SELVAAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
  4. Olá Sou o Tenente Felipe Sommer da PMSC, Caveira 05 COESP 2010-PMESP. O que respondeu ao questionário acima. Sinto-me muito honrado em ser caveira do COE SP, superamos os mais adversos obstáculos e conquistamos a tao almejada caveira. É para poucos...
    CAVEIRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    SELVAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde ten Felipe sou caveira 31 coesp 07.E isso aí o curso de operações não é pra qualquer um, só os fortes sobrevivem. Sellllva!!!!

      Excluir
    2. Sou mulher e vou ser do COE SP um dia.
      CAVEIRA!!
      SELVA!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
  5. Vi uma matéria na record sobre esse grupo e fiquei fã de voces!! Posso falar que voces são os verdadeiros herois desses país!! Sou admirador nato de todos voces!!!Boa sorte e cuidado!!! meu mail: worldwell@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. SER UM CAVEIRA NÃO É UMA ESCOLHA OU UMA VONTADE, SER CAVEIRA É UM DESTINO DESTINO ESSE QUE MUITOS QUEREM MAS SO OS MELHORES CONSEGUEM...É FACA É FACA É FACA NA CAVEIRA PATRULHA PATRULHA A NOITE INTEIRA... RUMO AO COE SELVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!
    fernandomarchiolli@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. GUERREIROS DA COE, BOA NOITE, OS HOMENS DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA PMMG, ESTÃO PASSANDO POR UM PROBLEMA MUITO SERIO COM O CMD DELES, O TC VLADIMIR QUE É CAVEIRA DA NOBRE COE DE SÃO PAULO,DA TURMA DE 1989, O MOTIVO É QUE O TC VLADIMIR ESQUECEU E ESTA CUSPINDO EM NOSSA SIMBOLOGIA QUE É A CAVEIRA E PROIBIU OS HOMENS DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA PMMG
    A USAR A CAVEIRA, POIS SE UTILIZANDO DE UMA PREMIÇA MENTIROSA QUE A CAVEIRA DOS O.E SIGNIFICA A MORTE, ONDE NÓS HOMENS DE OPERAÇÕES ESPECIAIS SABEMOS QUE NOSSA CAVEIRA SIGNIFICA A VITORIA SOBRE A MORTE, E OBRIGOU AOS O.E A USAR UMA PANTERA NO PEITO, ONDE PANTERA É O SIMBOLO DA UNIDADE GATE E NÃO DO CURSO, PRECISAMOS NOS UNIR E FAZER COM QUE ISSO MUDE, POIS O PROPRIO CMD GERAL DA PMMG FEZ UM DESPACHO, SOLICITANDO O PARECER DO MESMO E ELE COVARDEMENTE DISSE QUE OPINAVA PELA PANTERA E NÃO BRIGOU OU SE QUER SE PRONUNCIOU PELA CAVEIRA, TODO ESSE FATO OCORREU ESSE ANO DE 2012, PRECISAMOS QUE OS CAVEIRAS DA COE LEMBREM A ESSE CMD QUAL É A ORIGEM DELE E QUE ELE SAIBA DAR VALOR AOS HOMENS DE OPERAÇÕES ESPECIAS. FONE DO GATE DA PMMG É 0X3133070800.

    CAVEIRAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

    ResponderExcluir
  8. CAVEIRA!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Há 13 anos, fui aluno COESP 2011, com 36 anos de idade, consegui ir até o final, Patrulha Urutu, hoje ostento com muito orgulho o meu brevê. Sou Sargento da Força Aérea Brasileira e se preciso for farei tudo novamente. No COESP só os fortes conseguem. SELVA!!!!!!!! CAVEIRA.

    ResponderExcluir