Social Icons

https://twitter.com/blogoinformantefacebookhttps://plus.google.com/103661639773939601688rss feedemail

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Special Air Service (SAS) cria novo esquadrão com os mais bravos e experientes homens

O Special Air Service (SAS), unidade de elite do Exército Britânico, criou um novo “time”, o qual contará com os veteranos mais experientes da unidade.

A nova unidade do SAS, o Esquadrão E (Squadron E), vem atraindo a atenção dos britânicos, em especial da imprensa, porque o fundador da unidade é ninguém menos que o sargento Danny Harold Nightingale, atirador condenado por pose ilegal de uma pistola e munição e pela morte de dois recrutas em uma seleção do SAS.

O novo regimento do SAS será baseado em Hereford e operará em coexistência com os outros 4 esquadrões existentes, com 60 homens cadas.

Os militares dizem que o Squadron E será a elite dentro da elite. Ele será composto pelos mais experientes oficias que receberão permissão para ampliar o período de serviço de 22 para 35 anos. Isso quer dizer que o Squadron E terá homens com cerca de 50 anos.  O esquadrão será baseado no Revolutionary Warfare Wing, que era composto de apenas 12 sargentos do SAS.

O SAS foi forçado a se reestrutura devido a última década de operações de combate. Alguns membros se queixaram de desgaste, visto o pequeno número de combatentes do SAS.

Treinamento
Para poder operar no SAS, o candidato tem que ter servido ao menos dois anos em qualquer arma do Exército. O SAS aceita membros da Commonwealth e da República da Irlanda, tendo em conta que seus melhores homens já saíram de países como Nova Zelândia, antiga Rodésia, Austrália e Fiji.

O processo de seleção é duríssimo, inclusive em alguns casos há óbito. Os recrutas devem ser submetidos a provas físicas, de decisão e exercícios de estresse. A segunda parte da seleção centra-se na orientação e mobilidade sobre o terreno. Os treinamentos acontecem nas montanhas de Brecon Beacons e nas montanhas negras do país de Gales.

A exigência física é descomunal. Os instrutores aumentam o peso das mochilas dos recrutas pouco a pouco, a medida que as marchas vão aumentando de distância, bem como de inclinação. É justamente nessa fase que há o maior número de desistência entre os recrutas. Os exercícios de tiro acontecem na mesma intensidade como as marchas.

Essa parte do treinamento é tão dura que fez um dos maiores ícones do SAS, Mike Kealy, herói da Revolta de Omã em 1972, morrer de hipotermia durante manobras em 1979.

7 comentários:

  1. Uma elite de criminosos de guerra! Cães de guerra a serviço do governo britânico!! Está oficializado o terrorismo Estatal no Ocidente! Verdadeiros assassinos oficiais, com altos salários pagos pelos contribuintes! O Ocidente mostra a sua cara ao mundo!! São terroristas e criminosos de guerra! Recebem medalhas de honra ao mérito e tudo!
    São os terroristas oficiais do governo! Mundo imundo!!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkk. São forças especiais meu filho.... os mais selvagens e bem treinados homens de todo um exército...

    ResponderExcluir
  3. essa noticia é verdadeira? voce poderia me passar a fonte parceiro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você só pode estar de brincadeira com uma pergunta dessas, né?

      Se tem algum fanfarrão aqui, esse alguém é você!

      É claro que a notícia é verdadeira.

      Excluir
  4. Fui militar de elite mas o sãs e outro nivel

    ResponderExcluir
  5. Meu sonho e entrar pro sas , mas não sei se aceitariam estrageiros como eu la :( , ser a que tem algum brasileiro por la?

    ResponderExcluir